Mais de 500 pessoas, muitos delas que acreditam num futuro sustentável com energia limpa e renovável, percorreram na tarde deste sábado, 14, parte da rodovia que dá acesso à Termelétrica de Pecém, no Ceará, para protestar contra um dos projetos da indústria fóssil mais sujos e perversos. A ação direta e pacífica fez parte do movimento global LIBERTE-SE DOS COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS – Break Free 2016 – que no Ceará teve como tema o LIBERTE-SE DAS TERMELÉTRICAS.

A ação no Ceará começou na comunidade tradicional de Bolso pertencente ao território indígena Anacé e uma das que foi mais impactada pela indústria termelétrica e pelo Complexo Industrial e Portuário do Pecém. Pela rodovia passam os caminhões com toneladas de carvão que abastecem a termelétrica, gerando uma energia cara, poluidora e injusta.

A articulação local ficou a cargo dos integrantes do Fórum Ceará no Clima, que integra o movimento LIBERTE-SE que está sendo organizado no país pela 350.org Brasil e América Latina, COESUS – Coalizão Não Fracking Brasil e pela Sustentabilidade – e movimentos sociais e climáticos.

Participaram representantes das comunidades que são fortemente atingidas pelas secas ou pelo avanço do mar na zona costeira, bem como de comunidades indígenas e pescadores, estudantes universitários e secundaristas, ambientalistas, acadêmicos e muitos outros segmentos. Muitos dos que participaram da ação atuam em movimentos como o Coletivo Agroflorestar, Povo Anacé, Ecosurf, RUA Juventude Anticapitalista, SOS Cocó, Jangu Ambiental, entre outros apoiadores.

Veja com foi a cobertura ao vivo – https://liberte-se.org/ao-vivo/

“Tomamos em nossas mãos o poder de mudança da matriz energética brasileira, e seguimos combatendo as termelétricas a carvão, gás, petróleo e o FRACKING. Ativistas climáticos estão ganhando as batalhas por um futuro justo e renovável, e juntos vamos derrotar a indústria fóssil”, garante a diretora da 350.org Brasil e América Latina, Nicole Figueiredo de Oliveira.

ceará6Segundo o fundador da COESUS – Coalizão Não Fracking Brasil e Pela Sustentabilidade e coordenador de Campanhas Climáticas da 350.org, Eng. Dr. Juliano Bueno de Araujo, “os movimentos LIBERTE-SE DOS FÓSSEIS e LIBERTE-SE DO FRACKING realizados na cidade de Umuarama deixam uma marca definitiva no ‘maldito gás da morte’, o gás não convencional derivado da técnica de exploração conhecida por FRACKING”.

O LIBERTE-SE DOS COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS faz parte da onda global contra os fósseis – Break Free 2016 – que em maio promove ações em vários países. No Brasil está sendo articulado pela 350.org Brasil, COESUS, Cáritas Paraná, Fórum Ceará no Clima, Repas, entre diversas organizações climáticas, ambientais e movimentos sociais.
Para saber mais sobre o movimento e detalhes das ações no Brasil basta acessar https://liberte-se.org/ .

Fotos: 350Brasil/COESUS